quinta-feira, 19 de maio de 2016

A purificação dos sentidos

Que o eremita tenha sempre presente que estando no deserto de seu eremitério Deus há de visitá-lo pela purificação dos sentidos e das paixões. Há de levar sua alma para o fogo e reduzir a cinzas tudo que lhe seja contrário. E que fogo é esse senão o Divino Paráclito, Fogo Devorador, que a tudo incendeia no Amor Divino? Estejamos atentos. O caminho pode ser curto para alguns e longo para outros. É preciso se submeter sempre a vontade divina e em tudo dar graças. Nunca se desesperar pelo peso das purificações e das provações. Mas recorrer sempre que extenuado ao Divino Consolador. E manter o silêncio, o recolhimento, a clausura, sofrendo inteiramente unido ao Verbo Encarnado e sendo-lhe sempre submisso. A vida neste mundo é para angariar méritos. Mas já podemos viver nosso céu na terra se soubermos nos unir intimamente com a Trindade Santa. Todo esforço e toda resignação são recompensados por Deus, que nunca se deixa vencer em generosidade, e por mais dolorosa que seja a purificação, esta sempre dentro de nós para nos dar a vitória. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário