segunda-feira, 19 de junho de 2017

Os sinais da Providência


A Providência tem dado sinais de que o Eremitério da Santíssima Trindade, despojado de sua sede desde 30 de setembro do ano passado, logo terá de volta o seu lugar de adoração e recolhimento, silêncio e solidão, no meio de uma bela mata do que sobrou da Serra da Mantiqueira. 

A vista é panorâmica. Uma visão do céu. Um silêncio quase perfeito. Realmente uma grande graça da Trindade Santa. Um lugar muito apropriado para o recolhimento e a oração. Deus seja bendito! 

Peço a oração de todos. E a caridade daqueles a quem Deus deu bens deste mundo para que nos ajude a reconstruir o Eremitério que em Machado já estava praticamente pronto. Deus o quer. E todos que nos ajudarem colherão dos frutos e graças de todas as Santas Missas, orações, Ofício Divino, atos de piedade, jejuns e penitências que se fizerem neste local. 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Vita abscôndita



Só há verdadeira vida interior quando a alma busca somente a glória de Deus, esquecida de si mesma, e absorta apenas na visão do Amado.

“Vita vestra est abscôndita cum Christo in Deo” Col. III, 3.

Assim, escondida em Deus, recolhida, longe do barulho do mundo e das paixões, na solidão de sua cela, a alma busca a Deus somente e só a Ele deseja.

Não se incomoda com as intempéries que cercam o corpo ou a alma. Não busca consolações. Se oferece como vitima de holocausto.

Segue, silenciosamente, adorando a Deus, bendizendo seu Santo Nome, glorificando o Pai, o Filho e o Espírito Santo que habita o mais intimo de sua alma.


Essa é a verdadeira vida interior. 

sexta-feira, 9 de junho de 2017

A guarda da cela

É doutrina comum dos Padres do Deserto que guardar a permanência na cela é essencial para a vida da graça no monge e no eremita. 

Evagro, o Pôntico, nos ensina a sempre recusar todo convite para deixar a nossa cela:

"E se você for constantemente convidado a deixar sua cela, recuse. Pois a permanência prolongada fora da cela é nociva, ela desfaz a graça, obscurece o entendimento, extingue o fervor. Veja como uma jarra de vinho que permanece por longo tempo em seu lugar, sem ser remexida, torna o vinho claro, decantado, perfumado. Se, ao contrário, ela é transportada de um lugar para outro, ela produzirá um vinho opaco, misturado e que mostra todas as desagregações da borra".



terça-feira, 6 de junho de 2017

O homem de vida interior


O homem de vida interior não perde seu tempo com as coisas do mundo. Sabe que a amizade deste mundo é inimiga de Deus. Sua vida é recolhida. Afastada das dissipações do espírito. Vive para o Amado. Não quer outro bem que não seja Deus. 

Não se perde nas vaidades desta vida nem dá atenção as glórias deste mundo. Vive sua vida escondido em Deus. Nada lhe desagrada mais que ter que se ocupar, vez por outra, do próprio sustento ou da saúde. 

Vive o silêncio como uma grande graça que nunca deve ser desperdiçada. Bebe até a ultima gota da Água viva que vem do Espirito Santo de Deus e que transborda na sua vida interior. Ele vive da Trindade. 

quinta-feira, 1 de junho de 2017


+
Nada 
destrói mais em nós 
o amor a Jesus Cristo 
que o apego as criaturas 
seguido pelo desejo de 
consolações! 

+++

terça-feira, 30 de maio de 2017

A Fé não é de todos!

A apostasia dos tempos modernos torna cada vez mais evidente as palavras da Carta do Santo Apostolo Paulo aos Tessalonicenses em seu capitulo III, versículo 2: A Fé não é de todos. 

É certo que sem Fé é impossível agradar a Deus. 

Ora a Fé pertence as três virtudes maiores, chamada de teologais, infundidas na alma juntamente com a graça santificante e nos ordenam, segundo Santo Tomás, diretamente para Deus, conforme o que está discutido na Questão 62 sobre as virtudes teologais na I-II.

Nosso Senhor nos Santos Evangelhos pergunta: "Acaso julgais que o Filho do Homem quando voltar encontrará Fé sobre a terra - São Lucas 18, 8"? 

Esse é o retrato dos nossos tempos... A apostasia praticamente varreu a Fé sobre a terra. Onde se julga ter alguma fé o que se verifica é superstição e idolatria. 

O triunfo da heresia modernista no Vaticano II é responsável pela perda da Fé e destruição dos Dogmas de nossa Santa Religião no meio de um povo outrora católico. 

É neste contexto apocalíptico que vejo Deus suscitando almas contemplativas e encaminham-do-as para o deserto, para a solidão e o silencio, adorando e reparando pelos pecados de apostasia do clero e do povo. 

Quem tem Fé divina e Católica tem o dever de promover e amparar este gênero de vida para a honra e gloria de Deus, bem da Santa Igreja e salvação das almas! 




domingo, 14 de maio de 2017

Dai, e dar-se-vos á, boa medida, recalcada, sacudida, transbordante...


O Eremitério da Santíssima Trindade é uma fundação de natureza contemplativa que se propõe a viver longe do barulho das cidades, no recolhimento de um deserto, na solidão e no silêncio, guardando a Liturgia de Trento na Missa, no Ofício Divino e nos Sacramentos.

Não possui rendas e nem tem condições de manter um trabalho que lhe possibilite pagar as próprias contas. É uma obra que vive da Providencia de Deus e da generosidade de amigos e benfeitores.

No entanto as dificuldades são muitas principalmente porque não mantemos nenhum vinculo com grupos ditos tradicionalistas e muito menos com a nova hierarquia que vive a disciplina do Vaticano II.

Vivemos a vida da graça num completo abandono nas mãos de Deus e de seu cuidado por nós.

Percebemos que a crise de Fé e seu profetizado esfriamento afetou gravemente o espírito dos católicos provocando a perda da caridade, do amor entre os irmãos e do desvelo pelo pobre.

Hoje quem tem dinheiro não se deixa mais mover pela caridade, mas se fecha na avareza e no egoísmo. Não sabe ou não quer repartir dos bens que Deus lhes deu.

É uma situação demasiadamente triste e desoladora: apostasia, esfriamento da Fé, perda da caridade, avareza, egoísmo, vaidade...

Mas é preciso tentar sacudir este espirito anticatólico das almas que têm a graça de entender a grave crise que nos assola.

Deus prodigaliza de seus bens a muitos para que jamais deixem de assistir aos que necessitam e mais ainda aos que se propõem a viver os conselhos evangélicos. 

A quem muito foi dado, em todo sentido, muito será pedido.

Faço um discernimento ponderado sobre o número que temos de seguidores nestas chamadas redes sociais: 4950 pessoas. No blog mais de 18.300 acessos. Se todas essas almas se deixassem guiar pela generosidade e nos ajudassem cada um com 1 real já teríamos muito bem como prover nossas necessidades e ainda ajudar os pobres que estão a nossa volta.

Mas os corações parecem endurecidos...

Esta reflexão visa mover estas almas a quem Deus tem dado tantas graças para que se deixem tocar pelo amor e pela misericórdia do Bom Deus e aprendam a repartir com os que precisam ainda que seja um pouco da própria pobreza.

Cabe aqui uma bela passagem do Evangelho segundo São Lucas: "Levantando os olhos, viu Jesus os ricos que deitavam as suas ofertas no cofre do templo. Viu também uma viúva pobrezinha deitar duas pequeninas moedas, e disse: Em verdade vos digo: esta pobre viúva pôs mais do que os outros. Pois todos aqueles lançaram nas ofertas de Deus o que lhes sobra; esta, porém, deu, da sua indigência, tudo o que lhe restava para o sustento. Capitulo 21" 

Os que possuem bens deste mundo devem tomar consciência do dever, sim dever, que eles têm de ajudar o próximo e prover as coisas de Deus.

Assim conscientes do dever de caridade e de justiça todos teriam abertas as compotas do céu e veriam suas vidas se tornarem abundantemente abençoadas pelo Deus que vela pela sorte do pobre, dos órfãos, das viúvas e das almas que lhe são consagradas.

E todo nosso apelo seria prontamente correspondido num espirito de fé e amor a Deus! 


Mas a realidade tem sido bem outra e dai a razão de nossa reflexão. 

Que Nossa Senhora de Fátima, no seu centenário, nos ajude a todos. E que as almas correspondam a todo apelo justo e verdadeiro. E que assim todos se tornem plenamente irmãos e merecedores das melhores graças de Deus Nosso Senhor. 

sábado, 13 de maio de 2017

100 anos de Nossa Senhora em Fátima.



Este blog, piedosamente, se ajoelha aos pés da Bendita e Gloriosa Senhora Mãe de Deus e Sempre Virgem Maria neste centenário de Suas aparições em Fátima na Cova da Iria. 

100 anos de uma maternal intervenção da Mãe de Deus em favor dos homens que se condenam por causa de seus pecados. 

Deus quis estabelecer no mundo a devoção ao Imaculado Coração de Maria. Confiou três segredos. Fez duras advertências. 

Que balanço se pode fazer destas aparições e avisos da Mãe de Deus? 

A Igreja desde o Vaticano II está ocupada por seus piores inimigos! Seria este um dos termos do segredo? Substituíram fraudulentamente a Missa Católica por uma criação maçônica de Bugnini aprovada e imposta por Paulo VI! 

Destruíram o Ritual Romano e todos os veneráveis ritos dos Sacramentos! 

Impuseram uma falsa religião, antropocêntrica, herética, igualitária e gnóstica! Formou-se um novo clero e uma nova hierarquia sem a graça do antigo ritos dos sacramentos. 

Mas Nossa Senhora advertiu...

Advertiu e ordenou que o segredo fosse revelado depois de 1960 justamente quando os modernistas já estavam organizando os esquemas para ocupar a Cidade Católica e destruir seus ritos e sacramentos! 

Mas em sua bondade de Mãe falou sobre a preservação do Dogma da Fé e disse que por fim o seu Imaculado Coração triunfará. 

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós, pela Igreja ocupada pelos inimigos de Cristo, e salva-nos ó Mãe de Deus Bendita e Gloriosa! 

sexta-feira, 12 de maio de 2017

O valor da Obediência na Vida Contemplativa


A vida religiosa de natureza exclusivamente contemplativa, eremítica, silenciosa e recolhida, longe do barulho das cidades e paixões humanas, deve necessariamente se alicerçar no Voto da Obediência. 

A Obediência entendida como a grande virtude de submeter a vontade própria à vontade de Deus e a vontade do Superior. 

Cristo Nosso Senhor obedeceu até a morte e morte de Cruz!

Nós, que vivemos a vida da graça no deserto, na solidão e no silêncio, devemos nos entregar alegremente à obediência à Deus, aos superiores, aos Santos Padres, aos Santos Doutores, aos 260 papas que nos guiaram até aqui e aos 20 concílios ecumênicos até o Vaticano I. 

É necessário obedecer. Ser fiel. Perseverar. Combater o bom combate. Guardar a Fé. 

E jamais dar ouvido às novidades que destroem a Fé e comprometem a salvação eterna.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

O louvor divino é por si mesmo e de modo especial uma homenagem de amor.


É sabido que a vida do monge, do eremita que vive no deserto, é ditada por seu profundo amor ao Divino Esposo. E esse amor encontra sua melhor forma de expressão na recitação fervorosa do Oficio Divino. Uma vez na madrugada, em geral as 3 horas, e sete vezes ao dias. 

Na solidão do deserto, no silêncio do coro ou da cela, o monge recita diariamente o louvor divino, verdadeiro ato de adoração e sólido alimento para sua alma. 

Assim o Oficio Divino constitui para o anacoreta uma homenagem de amor a Trindade. Segundo Dom Columba Marmion todas as formas de amor nele encontram ocasião de se exprimir, principalmente pelos salmos, que constituem o seu mais considerável elemento. 

"A admiração, a complacência, o gozo, o amor de benevolência, o amor contrito, o amor grato, todos estes sentimentos se manifestam de modo quase ininterrupto. O amor reconhece, admira, exalta as perfeições divinas. A complacência pela qual a alma se regozija de alegria e beatitude da pessoa amada é uma das mais perfeitas formas e das mais puras do amor" Jesus Cristo, ideal do monge. Dom Columba Marmion, pag. 446.

E este venerável abade termina dizendo que quando se ama verdadeiramente não se tem maior alegria do que a de louvar e glorificar a Deus. Essa é a vida e o ideal do monge, amar a Deus de modo profundo, generoso, fiel, louvar e glorificar com todas as forças da sua alma este Divino Esposo! 


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sobre o bem que faz quem ajuda a sustentar uma casa de vida solitária e contemplativa.



É sabido que a caridade e a esmola apaga uma multidão de pecados. Ajudar uma casa de vida contemplativa, um mosteiro ou eremitério que vive da Providencia de Deus e que passa por dificuldades, é uma grande obra de misericórdia.

O monge ou o eremita é aquele homem que deixou sua casa, seu pai e sua mãe, seus irmãos, para viver os conselhos evangélicos e se aplicar de modo constante a uma vida de solidão e silêncio na contemplação de Deus.

Renunciou a todos os bens deste mundo para viver somente para Deus. Sua vocação equivale aquela de Maria, irmã de Marta e Lázaro, pois o eremita permanece em adoração e louvor.

Ora quem ajuda um profeta recebe os méritos de um profeta. Quem ajuda um eremita recebe igualmente de todos os méritos e graças inerentes à vida solitária e contemplativa.

Por isso abrace esta causa: ajude a manter nosso eremitério com sua caridade e Deus, que tudo vê, haverá de dar a recompensa devida: o cêntuplo nesta vida e mais a eternidade.


Receberá de todos os dons e todas as graças colhidas na solidão do deserto! 

terça-feira, 25 de abril de 2017

Sobre a possibilidade de um novo lugar para a nossa Solidão e Deserto




Um benfeitor está colocando à nossa disposição o uso de uma pequena propriedade na zona rural de Atibaia - SP no bairro do Campo Largo. 

As fotos descrevem o lugar melhor do que palavras. Um ambiente de recolhimento, solidão e silêncio, muito apropriado para a vida eremítica.

No entanto, para que se faça a devida mudança, precisamos da ação da Providência e da ajuda dos amigos e benfeitores. 

Temos que adequar algumas instalações, limpar, pintar, restaurar pequenas coisas, enfim, deixar a casa em ordem para a vida religiosa. 

Por esta razão inciamos esta campanha, confiantes de que a Providência Divina que nos deu esta possibilidade, nos dê também através da ajuda de nossos amigos e benfeitores os meios que precisamos para a mudança e adequação do imóvel. 

Pedimos a ajuda de todos. E principalmente as orações. Esta é uma obra da Providência de Deus, de Nossa Senhora e de São José. Sob o patrocínio de Nosso Pai São Bento e de São Bruno. 

Que a Santíssima Trindade abençoe a todos que generosamente nos ajudarem nesta empreitada voltada para a vida eremítica e de oração. Logo poderemos receber ordenadamente algumas visitas para retiro e recolhimentos. 

domingo, 9 de abril de 2017

Viver o Getsêmani


Caminhando com Jesus pelo Jardim das Oliveiras... Vejo todo o sofrimento do Divino Redentor e minha alma escolhe permanecer em silencio, absorta neste grande mistério, enquanto contemplo todas as dores que Ele sentiu pela visão dos sofrimentos e pelo abandono dos seus... Divino Redentor meu, Jesus, Esposo de minha pobre alma, aceite meu silencio como forma de união à vossas dores e deixai-me permanecer aqui enquanto outros preferem estar bem com os que te perseguem, acusam e condenam! Meu silencio é união de amor... É adoração, louvor, ação de graças profunda e reparação por todos os pecados. Olho à nossa volta Jesus e vejo essa multidão de anjos enquanto as almas correm para as futilidades e prazeres deste mundo ou suas conveniências e acordos que implicam sempre na traição por nada mais que trinta moedas de comodidade e conforto! 

segunda-feira, 27 de março de 2017

AJUDE O EREMITÉRIO

+
Pax

Ajude 
o Eremitério da Santíssima Trindade

Faça sua doação

Banco Itaú
Agencia 9093
Conta corrente 30.689-3
Titular
Luis Claudio Viana da Silva

quinta-feira, 23 de março de 2017

+++ O chamado de Deus e a oração de Quietude +++


A intimidade divina é antes de tudo um chamado...

Muitas almas desejosas de silêncio e solidão se debatem em muitas tribulações e misérias porque esquecem com facilidade que antes foram chamadas por Deus a esta vida escondida e solitária.

É Deus quem lhes conduz ao deserto!

Nesta matéria de nada valem as virtudes adquiridas, mas somente a Fé, a Esperança e a Caridade.

É o amor de Deus que deve transbordar na alma escolhida e de pronto produzir o silêncio, a solidão, o esquecimento de si mesma para ser inteiramente absorta no mistério da Trindade que habita em nós.

Se quiseres adiantar neste caminho, entrega tua vontade e a conforma inteiramente a vontade daquele que te chamou e te resgatou.

Entrega tua alma à solidão e ao silêncio e deixa Deus impregnar o teu espirito com o seu amor e sua misteriosa predileção.

Oração de quietude. 

Entrega perfeita ao amor de Deus.

É necessário deixar o amor de Deus penetrar até o mais profundo da nossa alma e do nosso espírito!


Ama com generosidade e sem reservas. Quem ama, permanece em Deus e Deus nele. Que pode haver de melhor neste mundo?  

terça-feira, 21 de março de 2017

+++++ Festa de Nosso Pai São Bento +++++

+
Pax



TRANSITUS
SS. P. BENEDICTI
ABBATIS

Omnípotens sempitérne Deus,
qui hodiérna die carnis edúctum ergástulo
Santíssimum Confessórem tuum Benedíctum 
sublevásti ad caelum: concéde, quáesumus, haec festa tuis
fámulis celebrántibus cunctórum véniam delictórum; 
ut qui exsultántibus ánimis ejus claritáti congáudent, ipso apud
te interveniénte, consociéntur et méritis.
Pér Dóminum Nostrum Iesum Christum, Filium tuum, 
qui tecum vivit et regnat in unitáte Spiritus Sancti Deus,
per ómnia saecula saeculórum. 
Amén. 

"Tú, pois, quem quer que sejas, 
que te apressas para a Pátria Celeste,
realiza com o auxílio de Nosso Senhor Jesus Cristo
esta mínima regra de iniciação aqui escrita,
e, então, por fim, 
chegarás,
com a proteção de Deus,
aos maiores cumes da doutrina e das virtues de que falamos acima 
( na regra ).
Amém" Santa Regra de Nosso Pai São Bento, final. 

segunda-feira, 20 de março de 2017

IT AD JOSEPH

Quer um modelo de vida contemplativa? Modelo de vida de oração e plena união com Deus? Modelo de recolhimento, vida escondida, humilde, desapegada de tudo e de todos? Ide a São José! Quem o toma como mestre não se engana! Ele é nosso grande modelo! Homem que viveu silenciosamente, cuidando da Sagrada Família, plenamente unido a Mãe de Deus e ao Verbo Divino. It ad Joseph! O justo José! 


+.+.+ SOLENIDADE DE SÃO JOSÉ +.+.+

Solenidade
do
Glorioso Patriarca São José
Padroeiro insigne da Igreja Universal
Terror dos Demônios


Que por seu paternal patrocínio
sejamos livres de toda perseguição diabólica
e tenhamos o sustento de nossas obras
e o cuidado de nossa vida eremítica. 

It ad Joseph! 

sábado, 18 de março de 2017

O SILÊNCIO É DEUS EM NÓS ...


É pelo silêncio que penetramos nos mistérios mais profundos do amor de Deus por nós.

O silêncio é Deus em nós.

É nossa escola.

Opera em nós todas as virtudes e nos predispõe a uma adoração contínua.

Não tenho dúvidas de que o silêncio é uma operação do Espírito Santo na alma que busca a Deus com veemência.

Operação misteriosa da graça.

Mas o silêncio tem seus caprichos. 

Não penetra em nós por causa de qualquer barulho, e principalmente, pelo barulho das paixões.

Se quisermos viver o silêncio de Deus em nós temos que submeter as paixões e movimentos da alma e do corpo ao espírito.

E nos afastar sempre das criaturas.

Elas serão sempre o maior obstáculo a nossa vida de silêncio e união com Deus.

Quem quer ser contemplativo e tomar vida monástica ou eremítica tem que amar o silêncio e dele viver continuamente para sempre estar no seio da Trindade. 



sexta-feira, 17 de março de 2017

DEUS É SILÊNCIO ...



Muitos se perguntam por que valorizamos tanto o silêncio na vida contemplativa monástica e eremítica... Desconhecem algo precioso sobre Deus!

Nosso Deus é o Deus do Silêncio.

E por isso, para unir-se a Deus em comunhão é necessário buscar com ânsias o silêncio em que a Trindade habita.

Silêncio que manteve por toda eternidade.

Foi no silêncio que Deus uma única vez proferiu uma palavra: o Verbo, seu Filho Unigênito e depois disto recolheu-se novamente em seu eterno silêncio.

Deus é silêncio.

Por isso amamos tanto o silêncio e fazemos dele a razão da nossa vida!

Ao buscarmos com tanto amor e tanta vontade o silêncio penetramos neste mistério insondável de Deus.


E nossa alma quieta e silenciosa é pacificada pelo silêncio de Deus e pelo Deus do silêncio. Nele permanecemos e temos completa estabilidade. 

quinta-feira, 16 de março de 2017

BUSCAR A SOLIDÃO E O SILENCIO ...


Almas sedentas de Jesus, não se enganem, pois Ele se encontra no deserto, na solidão e no silêncio. 

Se querem estar verdadeiramente com Jesus, fujam do mundo e principalmente do espírito do mundo, busquem o recolhimento, pois o Divino Esposo está a porta e bate! 

A solidão é o descanso da alma em Deus... 

E o silêncio traz consigo a paz e a habitação da Trindade em nós! 

Por que muitos não perseveram na sua vida de união com Deus? Porque não amam suficientemente a solidão e o silêncio! 

Queres crescer no amor de Deus? Persevera no recolhimento, permanece no deserto, fica sempre na solidão, guarda o silêncio como um grande tesouro, e tua alma encontrará o amor de Deus! 


quarta-feira, 15 de março de 2017

VIVER DA PROVIDÊNCIA DIVINA


Viver da Providência sempre foi meio que um atributo dos santos, que confiavam somente em Deus e jamais em si mesmos ou em outros …


Alguns eram tão confiantes e tão ousados que não guardavam provisão de um dia para o outro, mas no final da tarde entregavam aos pobres o que havia-lhes sobrado…


Isso é viver da Providência!


Mas nós, em nossa miséria, em nossas necessidades, muitas vezes ficamos ansiosos, dispersos, preocupados, quando muito bem sabemos que Deus cuida dos pássaros do céu e toda a sua criação com uma providência sem par!


Viver da Providência é viver da Fé de Abraão, Isaac e Jacó. A Fé dos Santos Apóstolos, dos Santos Mártires, Confessores, Virgens e Viúvas… É viver da Fé da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica.


Deixemos de lado toda preocupação e ansiedade. E aprendamos a lançar sobre o Coração de Jesus toda nossa ansiedade. Deus cuida de nós com amor insuperável! Estejamos atentos:

“Meu jugo é suave e meu fardo é leve”!

terça-feira, 14 de março de 2017

O Deus da Paz !


Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Divino Esposo, nosso Redentor e nosso Rei é antes de tudo o Deus da Paz, da paz que excede todo entendimento. 

Paz que não está no meio das cidades e entre as ambições e vaidades deste mundo perverso! 

Ele nos disse: A paz vos dou, deixo-vos a minha Paz! 

O homem contemporâneo, mergulhado no naturalismo e no hedonismo, não entende mais o significado desta paz. 

E por conta disso se joga num ativismo frenético onde não há lugar para a solidão e para o silêncio com o Amado. 

Em contrapartida o mundo engana de tal modo as pessoas que, na sua vaidade e egoismo, fugindo do silêncio e da solidão, são todos precipitados no vazio e no desespero de uma solidão sem Deus! 

Para encontrar a Paz de Deus é preciso habitar no deserto... 

O Deserto é um estado de espirito muito mais que um lugar pois pressupõe a vitória do espírito sobre a matéria, da  virtude sobre a concupiscência, da graça sobre todo pecado. 

Paz que excede todo entendimento. 

O que é esta paz? A vida da Trindade em nós! O Senhorio de Jesus sobre as nossas almas. A habitação do Espirito Santo em nosso ser! 

Esta misteriosa inabitação da Trindade em nós... 

Que se faz no silêncio, na solidão, na oração contínua e fervorosa, perseverante. Através do Santo Sacrifício da Missa e da Comunhão do Corpo e Sangue de Jesus. Dos seus divinos sacramentos. Do Ofício Divino e do trabalho humilde e silencioso. 

Esta é a paz do deserto! 

segunda-feira, 13 de março de 2017

A paz que vem do Deserto ...


Depois de muitos anos vida solitária e recolhida eu cheguei a uma grave conclusão: Não há paz verdadeira senão no Deserto, na vida solitária e recolhida. 

É no Santo Sacrifício, celebrado ou assistido diariamente, no Oficio Divino da Madrugada e nas sete horas canônicas do dia que o eremita encontra seu repouso e sua paz. 

Jesus é adorado no silêncio da cela e do eremitério. Esta em cada canto. Na Capela sacramentalmente. Mas em todo lugar deste santo deserto, desde a sala de trabalhos manuais até a horta, o pomar e o jardim. 

Quem quer viver unido ao Esposo deve se dirigir para o deserto! É nele que estamos a sós com Ele. E a alegria que se experimenta é indescritível. 

O elogio da vida solitária

Na Quaresma Jesus nos dá o grande elogio da vida solitária no Deserto. Durante sua vida, muitas e muitas vezes se retirava para passar dias e noites em oração e recolhimento, longe do rebuliço das cidades. 

No Deserto se entra em comunhão com Deus. E esse encontro com a Trindade é feito neste abandono do mundo. Numa vida de silêncio e solidão. Os jejuns, as mortificações, as penitências fazem parte da purificação da alma sedenta por Deus. 

É preciso perseverar na oração e na companhia do Divino Esposo. Guardar o recolhimento. Preservar-se da contaminação deste mundo perverso! 

domingo, 12 de março de 2017

É PRECISO PREPARAR-SE PARA GRANDES CASTIGOS


Estamos celebrando 100 anos das Aparições de Nossa Senhora em Fátima e no Brasil 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida nas águas do Rio Paraíba.

Desastrosamente o ano começou com uma série de sacrilégios e atentados contra a Fé Católica por parte dos usurpadores da Sé de Pedro. 

Em São Paulo e no Rio de Janeiro o carnaval foi marcado por uma série de manifestações sacrílegas contra Nossa Senhora e de modo geral contra a Religião Católica. 

Tantas atos de sacrilégio e apostasia são sinais de um terrível castigo que se aproxima sobre a nação e sobre o mundo. 

Castigo já predito por Nossa Senhora em La Salette e em Fátima. 

Nossa Senhora já não tem mais como segurar o braço da Justiça de Deus que quer descer sobre essa humanidade pecadora! 

Nesta Quaresma intensifiquemos nossos jejuns, mortificações, penitencias, oração, esmola, reparações e desagravos, e mantenhamos a consciência sempre limpa, pois os castigos estão à porta! 

Muitas nações desaparecerão da face da terra... 


sábado, 11 de março de 2017

É PRECISO REZAR ...


Jesus nos quarenta dias que passou no deserto esteve em oração, jejuando e oferecendo-se a Deus Pai como vitima de expiação por nossos pecados. 

Nos ensinou que Deus quer adoradores em espírito e em verdade.

E que a oração é o meio pelo qual obtemos de Deus tudo quanto necessitamos: pedi e recebereis, buscai e achareis, bati e vos será aberto! 

Ensinou-nos que o melhor pedido é o dom do Espírito Santo, a Sabedoria, uma vida sob a direção do Consolador e na inteira dependência da Santíssima Trindade que habita em nós. 

Deus espera de nós a oração, humilde, confiante, perseverante, constante, para nos dar dos seus bens e das suas graças e bençãos. 




sexta-feira, 10 de março de 2017

INSTRUMENTOS DAS BOAS OBRAS


DOS INSTRUMENTOS DAS BOAS OBRAS SEGUNDO NOSSO PAI SÃO BENTO

"Abnegar-se a si mesmo para seguir o Cristo. 
Castigar o corpo. 
Não abraçar as delícias. 
Amar o jejum. 
Reconfortar os pobres. 
Vestir os nus. 
Visitar os enfermos. 
Sepultar os mortos. 
Socorrer na tribulação. 
Consolar o que sofre. 
Fazer-se alheio às coisas do mundo. 
Nada antepor ao amor de Cristo". 


Quaresma. 

Nada mais oportuno que trazer à memória esta preciosa passagem da Santa Regra de Nosso Pai São Bento. 

Temos recordado aqui que a Quaresma é um tempo de penitência, conversão e oração. 

A Santa Igreja nos recomenda o Jejum, a Abstinência de carnes, a Mortificação e a Penitência, a Oração e o Arrependimento sincero com Conversão dos costumes. 

E Nosso Glorioso Pai, Patriarca dos Monges do Ocidente e Patriarca da Europa, vem nos lembrar quais são os instrumentos das boas obras. 

Elas passam pela abnegação de si mesmo, o castigo do corpo, a mortificação, a penitência, os cilícios, as disciplinas e flagelos, o amor do jejum... Mas se estendem em direção ao próximo, ao pobre, ao infeliz, ao indigente, e por isso São Bento nos manda reconfortar os pobres, vestir os nus, visitar os doentes, sepultar os mortos.

Socorrer na tribulação. Que conselho precioso. O egoismo e a apostasia moderna nos fazem esquecer do irmão que sofre, sozinho, sem nenhum socorro da nossa parte. 

Ignoramos o mais das vezes aquele que sofre. Passamos indiferente a dor do próximo. Não praticamos a bondade, a caridade e a misericórdia. E isso nos deve ser motivo de grave exame de consciência nesta Quaresma. 

Fazer nos alheio as coisas deste mundo, que nos afastam de Deus, nos fazem ignorar o próximo, e nos tornam tíbios. 

Por fim, nada antepor ao amor de Cristo, esse amor incondicional, Ele que se entregou a nós todo inteiro, que se fez obediente até a morte e morte de Cruz. Olhemos para Jesus Crucificado. Ele nos disse: o que fizerdes a um destes pequeninos é a mim que o fazeis!