sábado, 18 de fevereiro de 2017

Si revera Deus quaerit

Buscar a Deus é o bem supremo. Eu por mim, julgo-o superior a todos os bens da alma. Primeiro entre os dons, é o começo de todo o progresso.

Não é coisa que se venha a ajuntar a uma virtude, e a nenhuma é inferior. A que virtude se ajuntaria aquela que nenhuma outra é precedida? A qual cederia o passo aquela que é antes o remate de toda a virtude? 

A que virtude poderia aspirar quem não buscasse a Deus? E a quem busca a Deus, como fixar um termo desta busca?

Buscai a face de Deus. Quem O tiver encontrado, nunca deixará, diz a Escritura, de O buscar. 

É pelo desejo, não pelos movimentos do corpo que se vai a Deus. E a felicidade de ter encontrado a Deus não acalma o desejo, antes o aviva. Acaso diminui o desejo a perfeição da alegria? Não; é óleo no fogo. Que o desejo é uma chama. Sim, realmente, a alegria será completa, mas sem pôr termo ao desejo nem, consequentemente, à busca. 

Tenta, se podes, representar-te o zelo da busca, sem ajuntar-lhe a idéia da indigência; imaginar um desejo sem mescla de ansiedade. Visto a presença excluir a busca, a abundância acaba com o desejo.

São Bernardo, Abade - In Cantica, Serm. LXXXIV, 1 - citado por Dom Columba Marmion em Jesus Cristo ideal do monge. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário