segunda-feira, 13 de março de 2017

A paz que vem do Deserto ...


Depois de muitos anos vida solitária e recolhida eu cheguei a uma grave conclusão: Não há paz verdadeira senão no Deserto, na vida solitária e recolhida. 

É no Santo Sacrifício, celebrado ou assistido diariamente, no Oficio Divino da Madrugada e nas sete horas canônicas do dia que o eremita encontra seu repouso e sua paz. 

Jesus é adorado no silêncio da cela e do eremitério. Esta em cada canto. Na Capela sacramentalmente. Mas em todo lugar deste santo deserto, desde a sala de trabalhos manuais até a horta, o pomar e o jardim. 

Quem quer viver unido ao Esposo deve se dirigir para o deserto! É nele que estamos a sós com Ele. E a alegria que se experimenta é indescritível. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário