segunda-feira, 27 de março de 2017

AJUDE O EREMITÉRIO

+
Pax

Ajude 
o Eremitério da Santíssima Trindade

Faça sua doação

Banco Itaú
Agencia 9093
Conta corrente 30.689-3
Titular
Luis Claudio Viana da Silva

quinta-feira, 23 de março de 2017

+++ O chamado de Deus e a oração de Quietude +++


A intimidade divina é antes de tudo um chamado...

Muitas almas desejosas de silêncio e solidão se debatem em muitas tribulações e misérias porque esquecem com facilidade que antes foram chamadas por Deus a esta vida escondida e solitária.

É Deus quem lhes conduz ao deserto!

Nesta matéria de nada valem as virtudes adquiridas, mas somente a Fé, a Esperança e a Caridade.

É o amor de Deus que deve transbordar na alma escolhida e de pronto produzir o silêncio, a solidão, o esquecimento de si mesma para ser inteiramente absorta no mistério da Trindade que habita em nós.

Se quiseres adiantar neste caminho, entrega tua vontade e a conforma inteiramente a vontade daquele que te chamou e te resgatou.

Entrega tua alma à solidão e ao silêncio e deixa Deus impregnar o teu espirito com o seu amor e sua misteriosa predileção.

Oração de quietude. 

Entrega perfeita ao amor de Deus.

É necessário deixar o amor de Deus penetrar até o mais profundo da nossa alma e do nosso espírito!


Ama com generosidade e sem reservas. Quem ama, permanece em Deus e Deus nele. Que pode haver de melhor neste mundo?  

terça-feira, 21 de março de 2017

+++++ Festa de Nosso Pai São Bento +++++

+
Pax



TRANSITUS
SS. P. BENEDICTI
ABBATIS

Omnípotens sempitérne Deus,
qui hodiérna die carnis edúctum ergástulo
Santíssimum Confessórem tuum Benedíctum 
sublevásti ad caelum: concéde, quáesumus, haec festa tuis
fámulis celebrántibus cunctórum véniam delictórum; 
ut qui exsultántibus ánimis ejus claritáti congáudent, ipso apud
te interveniénte, consociéntur et méritis.
Pér Dóminum Nostrum Iesum Christum, Filium tuum, 
qui tecum vivit et regnat in unitáte Spiritus Sancti Deus,
per ómnia saecula saeculórum. 
Amén. 

"Tú, pois, quem quer que sejas, 
que te apressas para a Pátria Celeste,
realiza com o auxílio de Nosso Senhor Jesus Cristo
esta mínima regra de iniciação aqui escrita,
e, então, por fim, 
chegarás,
com a proteção de Deus,
aos maiores cumes da doutrina e das virtues de que falamos acima 
( na regra ).
Amém" Santa Regra de Nosso Pai São Bento, final. 

segunda-feira, 20 de março de 2017

IT AD JOSEPH

Quer um modelo de vida contemplativa? Modelo de vida de oração e plena união com Deus? Modelo de recolhimento, vida escondida, humilde, desapegada de tudo e de todos? Ide a São José! Quem o toma como mestre não se engana! Ele é nosso grande modelo! Homem que viveu silenciosamente, cuidando da Sagrada Família, plenamente unido a Mãe de Deus e ao Verbo Divino. It ad Joseph! O justo José! 


+.+.+ SOLENIDADE DE SÃO JOSÉ +.+.+

Solenidade
do
Glorioso Patriarca São José
Padroeiro insigne da Igreja Universal
Terror dos Demônios


Que por seu paternal patrocínio
sejamos livres de toda perseguição diabólica
e tenhamos o sustento de nossas obras
e o cuidado de nossa vida eremítica. 

It ad Joseph! 

sábado, 18 de março de 2017

O SILÊNCIO É DEUS EM NÓS ...


É pelo silêncio que penetramos nos mistérios mais profundos do amor de Deus por nós.

O silêncio é Deus em nós.

É nossa escola.

Opera em nós todas as virtudes e nos predispõe a uma adoração contínua.

Não tenho dúvidas de que o silêncio é uma operação do Espírito Santo na alma que busca a Deus com veemência.

Operação misteriosa da graça.

Mas o silêncio tem seus caprichos. 

Não penetra em nós por causa de qualquer barulho, e principalmente, pelo barulho das paixões.

Se quisermos viver o silêncio de Deus em nós temos que submeter as paixões e movimentos da alma e do corpo ao espírito.

E nos afastar sempre das criaturas.

Elas serão sempre o maior obstáculo a nossa vida de silêncio e união com Deus.

Quem quer ser contemplativo e tomar vida monástica ou eremítica tem que amar o silêncio e dele viver continuamente para sempre estar no seio da Trindade. 



sexta-feira, 17 de março de 2017

DEUS É SILÊNCIO ...



Muitos se perguntam por que valorizamos tanto o silêncio na vida contemplativa monástica e eremítica... Desconhecem algo precioso sobre Deus!

Nosso Deus é o Deus do Silêncio.

E por isso, para unir-se a Deus em comunhão é necessário buscar com ânsias o silêncio em que a Trindade habita.

Silêncio que manteve por toda eternidade.

Foi no silêncio que Deus uma única vez proferiu uma palavra: o Verbo, seu Filho Unigênito e depois disto recolheu-se novamente em seu eterno silêncio.

Deus é silêncio.

Por isso amamos tanto o silêncio e fazemos dele a razão da nossa vida!

Ao buscarmos com tanto amor e tanta vontade o silêncio penetramos neste mistério insondável de Deus.


E nossa alma quieta e silenciosa é pacificada pelo silêncio de Deus e pelo Deus do silêncio. Nele permanecemos e temos completa estabilidade. 

quinta-feira, 16 de março de 2017

BUSCAR A SOLIDÃO E O SILENCIO ...


Almas sedentas de Jesus, não se enganem, pois Ele se encontra no deserto, na solidão e no silêncio. 

Se querem estar verdadeiramente com Jesus, fujam do mundo e principalmente do espírito do mundo, busquem o recolhimento, pois o Divino Esposo está a porta e bate! 

A solidão é o descanso da alma em Deus... 

E o silêncio traz consigo a paz e a habitação da Trindade em nós! 

Por que muitos não perseveram na sua vida de união com Deus? Porque não amam suficientemente a solidão e o silêncio! 

Queres crescer no amor de Deus? Persevera no recolhimento, permanece no deserto, fica sempre na solidão, guarda o silêncio como um grande tesouro, e tua alma encontrará o amor de Deus! 


quarta-feira, 15 de março de 2017

VIVER DA PROVIDÊNCIA DIVINA


Viver da Providência sempre foi meio que um atributo dos santos, que confiavam somente em Deus e jamais em si mesmos ou em outros …


Alguns eram tão confiantes e tão ousados que não guardavam provisão de um dia para o outro, mas no final da tarde entregavam aos pobres o que havia-lhes sobrado…


Isso é viver da Providência!


Mas nós, em nossa miséria, em nossas necessidades, muitas vezes ficamos ansiosos, dispersos, preocupados, quando muito bem sabemos que Deus cuida dos pássaros do céu e toda a sua criação com uma providência sem par!


Viver da Providência é viver da Fé de Abraão, Isaac e Jacó. A Fé dos Santos Apóstolos, dos Santos Mártires, Confessores, Virgens e Viúvas… É viver da Fé da Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica.


Deixemos de lado toda preocupação e ansiedade. E aprendamos a lançar sobre o Coração de Jesus toda nossa ansiedade. Deus cuida de nós com amor insuperável! Estejamos atentos:

“Meu jugo é suave e meu fardo é leve”!

terça-feira, 14 de março de 2017

O Deus da Paz !


Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Divino Esposo, nosso Redentor e nosso Rei é antes de tudo o Deus da Paz, da paz que excede todo entendimento. 

Paz que não está no meio das cidades e entre as ambições e vaidades deste mundo perverso! 

Ele nos disse: A paz vos dou, deixo-vos a minha Paz! 

O homem contemporâneo, mergulhado no naturalismo e no hedonismo, não entende mais o significado desta paz. 

E por conta disso se joga num ativismo frenético onde não há lugar para a solidão e para o silêncio com o Amado. 

Em contrapartida o mundo engana de tal modo as pessoas que, na sua vaidade e egoismo, fugindo do silêncio e da solidão, são todos precipitados no vazio e no desespero de uma solidão sem Deus! 

Para encontrar a Paz de Deus é preciso habitar no deserto... 

O Deserto é um estado de espirito muito mais que um lugar pois pressupõe a vitória do espírito sobre a matéria, da  virtude sobre a concupiscência, da graça sobre todo pecado. 

Paz que excede todo entendimento. 

O que é esta paz? A vida da Trindade em nós! O Senhorio de Jesus sobre as nossas almas. A habitação do Espirito Santo em nosso ser! 

Esta misteriosa inabitação da Trindade em nós... 

Que se faz no silêncio, na solidão, na oração contínua e fervorosa, perseverante. Através do Santo Sacrifício da Missa e da Comunhão do Corpo e Sangue de Jesus. Dos seus divinos sacramentos. Do Ofício Divino e do trabalho humilde e silencioso. 

Esta é a paz do deserto! 

segunda-feira, 13 de março de 2017

A paz que vem do Deserto ...


Depois de muitos anos vida solitária e recolhida eu cheguei a uma grave conclusão: Não há paz verdadeira senão no Deserto, na vida solitária e recolhida. 

É no Santo Sacrifício, celebrado ou assistido diariamente, no Oficio Divino da Madrugada e nas sete horas canônicas do dia que o eremita encontra seu repouso e sua paz. 

Jesus é adorado no silêncio da cela e do eremitério. Esta em cada canto. Na Capela sacramentalmente. Mas em todo lugar deste santo deserto, desde a sala de trabalhos manuais até a horta, o pomar e o jardim. 

Quem quer viver unido ao Esposo deve se dirigir para o deserto! É nele que estamos a sós com Ele. E a alegria que se experimenta é indescritível. 

O elogio da vida solitária

Na Quaresma Jesus nos dá o grande elogio da vida solitária no Deserto. Durante sua vida, muitas e muitas vezes se retirava para passar dias e noites em oração e recolhimento, longe do rebuliço das cidades. 

No Deserto se entra em comunhão com Deus. E esse encontro com a Trindade é feito neste abandono do mundo. Numa vida de silêncio e solidão. Os jejuns, as mortificações, as penitências fazem parte da purificação da alma sedenta por Deus. 

É preciso perseverar na oração e na companhia do Divino Esposo. Guardar o recolhimento. Preservar-se da contaminação deste mundo perverso! 

domingo, 12 de março de 2017

É PRECISO PREPARAR-SE PARA GRANDES CASTIGOS


Estamos celebrando 100 anos das Aparições de Nossa Senhora em Fátima e no Brasil 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida nas águas do Rio Paraíba.

Desastrosamente o ano começou com uma série de sacrilégios e atentados contra a Fé Católica por parte dos usurpadores da Sé de Pedro. 

Em São Paulo e no Rio de Janeiro o carnaval foi marcado por uma série de manifestações sacrílegas contra Nossa Senhora e de modo geral contra a Religião Católica. 

Tantas atos de sacrilégio e apostasia são sinais de um terrível castigo que se aproxima sobre a nação e sobre o mundo. 

Castigo já predito por Nossa Senhora em La Salette e em Fátima. 

Nossa Senhora já não tem mais como segurar o braço da Justiça de Deus que quer descer sobre essa humanidade pecadora! 

Nesta Quaresma intensifiquemos nossos jejuns, mortificações, penitencias, oração, esmola, reparações e desagravos, e mantenhamos a consciência sempre limpa, pois os castigos estão à porta! 

Muitas nações desaparecerão da face da terra... 


sábado, 11 de março de 2017

É PRECISO REZAR ...


Jesus nos quarenta dias que passou no deserto esteve em oração, jejuando e oferecendo-se a Deus Pai como vitima de expiação por nossos pecados. 

Nos ensinou que Deus quer adoradores em espírito e em verdade.

E que a oração é o meio pelo qual obtemos de Deus tudo quanto necessitamos: pedi e recebereis, buscai e achareis, bati e vos será aberto! 

Ensinou-nos que o melhor pedido é o dom do Espírito Santo, a Sabedoria, uma vida sob a direção do Consolador e na inteira dependência da Santíssima Trindade que habita em nós. 

Deus espera de nós a oração, humilde, confiante, perseverante, constante, para nos dar dos seus bens e das suas graças e bençãos. 




sexta-feira, 10 de março de 2017

INSTRUMENTOS DAS BOAS OBRAS


DOS INSTRUMENTOS DAS BOAS OBRAS SEGUNDO NOSSO PAI SÃO BENTO

"Abnegar-se a si mesmo para seguir o Cristo. 
Castigar o corpo. 
Não abraçar as delícias. 
Amar o jejum. 
Reconfortar os pobres. 
Vestir os nus. 
Visitar os enfermos. 
Sepultar os mortos. 
Socorrer na tribulação. 
Consolar o que sofre. 
Fazer-se alheio às coisas do mundo. 
Nada antepor ao amor de Cristo". 


Quaresma. 

Nada mais oportuno que trazer à memória esta preciosa passagem da Santa Regra de Nosso Pai São Bento. 

Temos recordado aqui que a Quaresma é um tempo de penitência, conversão e oração. 

A Santa Igreja nos recomenda o Jejum, a Abstinência de carnes, a Mortificação e a Penitência, a Oração e o Arrependimento sincero com Conversão dos costumes. 

E Nosso Glorioso Pai, Patriarca dos Monges do Ocidente e Patriarca da Europa, vem nos lembrar quais são os instrumentos das boas obras. 

Elas passam pela abnegação de si mesmo, o castigo do corpo, a mortificação, a penitência, os cilícios, as disciplinas e flagelos, o amor do jejum... Mas se estendem em direção ao próximo, ao pobre, ao infeliz, ao indigente, e por isso São Bento nos manda reconfortar os pobres, vestir os nus, visitar os doentes, sepultar os mortos.

Socorrer na tribulação. Que conselho precioso. O egoismo e a apostasia moderna nos fazem esquecer do irmão que sofre, sozinho, sem nenhum socorro da nossa parte. 

Ignoramos o mais das vezes aquele que sofre. Passamos indiferente a dor do próximo. Não praticamos a bondade, a caridade e a misericórdia. E isso nos deve ser motivo de grave exame de consciência nesta Quaresma. 

Fazer nos alheio as coisas deste mundo, que nos afastam de Deus, nos fazem ignorar o próximo, e nos tornam tíbios. 

Por fim, nada antepor ao amor de Cristo, esse amor incondicional, Ele que se entregou a nós todo inteiro, que se fez obediente até a morte e morte de Cruz. Olhemos para Jesus Crucificado. Ele nos disse: o que fizerdes a um destes pequeninos é a mim que o fazeis! 

quinta-feira, 9 de março de 2017

PENITÊNCIA


"Se não fizerdes penitência, perecereis todos" Lc XIII, 3! 

A Quaresma é também e principalmente um tempo precioso de penitência e mortificação. 

Mas nada há de mais alheio ao espírito do homem moderno do que a penitência e a mortificação, acostumado que está na busca do conforto e de toda sorte de prazeres, inclusive os ilícitos e pecaminosos! 

Na Quaresma somos convidados a fazer penitência, jejuns, mortificações, privações até do necessário para satisfazer por nossas culpas, pecados e fraquezas! 

Olhos postos no Divino Esposo, que entregou-Se todo inteiro por nós, foi obediente até a morte, e morte de Cruz. 

Derramou até a ultima gota de sangue para nos justificar diante do Pai Eterno e salvar as nossas almas. 

Os que podem, devem com alegria fazer uso de cilícios, disciplinas, flagelos, pequenas mortificações tais como aguentar um pouco a sede, reprimir o sono, a gula, e humildemente aproximar-se de Cristo. 



quarta-feira, 8 de março de 2017

Profecia de Nossa Senhora do Bom Sucesso de Quito


"Satanás quer destruir esta obra de Deus, mas não o conseguirá, porque Eu sou a Rainha das Vitórias e a Mãe do Bom Sucesso, sob cuja invocação quero fazer prodígios em todos os séculos"

 Nossa Senhora do Bom Sucesso de Quito a Madre Mariana de Jesus Torres. 

Desta mesma forma Satanás quer destruir também este pequeno projeto de eremitério e seu indigno fundador, para isso move todo tipo de perseguição, dificuldades e provações.

No entanto nosso auxílio esta no Nome do Senhor! Estamos nas mãos de Nossa Senhora, Rainha das Vitórias e Mãe do Bom Sucesso! 

O COSTUME DA ABSTINÊNCIA DE CARNES



O costume da abstinência de carnes é extremamente antigo na Igreja e remonta os tempos apostólicos. Os Santos Padres da Igreja, os Padres do Deserto, os Monges e Anacoretas o tomaram de modo definitivo, mas a Santa Igreja o reservou para alguns dias do ano litúrgico, para o Advento e para a Santa Quaresma.

Essa disciplina foi aliviada pelo Santo Padre Pio XII em favor de uma nova geração mas o espirito deve permanecer o mesmo entre os verdadeiros católicos. 

Cada um, de acordo com suas forças e saúde, com o discernimento e a aprovação do Confessor, deve abster-se de carne durante toda a Quaresma. 

Nosso Pai São Bento proíbe o consumo da carne de quadrúpedes na Santa Regra. É um sacrifício que favorece a vida de oração e piedade, reprime o ardor  da concupiscência e nos predispõe a contemplação das coisas celestes. 

terça-feira, 7 de março de 2017

O GRANDE VALOR DO JEJUM


O grande valor do jejum esta fartamente demonstrado pelas Escrituras e pelo testemunho do próprio Jesus Cristo Senhor Nosso. 

Ele nos predispõe à oração, ao combate contra o Maligno e submete as concupiscências e tentações. 

O homem naturalista e moderno perdeu essa predisposição ao jejum e por isso sofre quando a Igreja lhe pede que jejue. 

Mas o jejum da Igreja pedido aos fiéis é muito brando se comparado ao jejum dos monges e anacoretas. 

Ao fiel é imposto uma refeição normal e duas pequenas. 

Aos monges, eremitas e anacoretas é prescrito uma refeição só ao dia depois das 15 ou 18 horas de acordo com as forças e o discernimento do Abade ou Pai Espiritual. 

Convém lembrar que há demônios e vícios que só se vencem com o poder do jejum e da oração. 

E o jejum, essa limitação da necessidade do alimento, esse freio ao vicio da gula, torna a alma apta para uma vida de oração e profunda união com Deus. 

Quem ama estar com Deus em união e intima caridade deve também amar o jejum. 

segunda-feira, 6 de março de 2017

MINISTROS DA PROVIDÊNCIA DIVINA


SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ESMOLA

Ninguém certamente é obrigado a aliviar o próximo privando-se do seu necessário ou do de sua família; nem mesmo a nada suprimir do que as conveniências ou decência Impõem à sua pessoa: «Ninguém com efeito deve viver contrariamente às conveniências»(13). Mas, desde que haja suficientemente satisfeito à necessidade e ao decoro, é um dever lançar o supérfluo no seio dos pobres: «Do supérfluo dai esmolas» (14). É um dever, não de estrita justiça, excepto nos casos de extrema necessidade, mas de caridade cristã, um dever, por consequência, cujo cumprimento se não pode conseguir pelas vias da justiça humana. Mas, acima dos juízos do homem e das leis, há a lei e o juízo de Jesus Cristo, nosso Deus, que nos persuade de todas as maneiras a dar habitualmente esmola: «É mais feliz», diz Ele, «aquele que dá do que aquele que recebe» (15), e o Senhor terá como dada ou recusada a Si mesmo a esmola que se haja dado ou recusado aos pobres: «Todas as vezes que tenhais dado esmola, a um de Meus irmãos, é a Mim que a haveis dado» (16). Eis, aliás, em algumas palavras, o resumo desta doutrina: Quem quer que tenha recebido da divina Bondade maior abundância, quer de bens externos e do corpo, quer de bens da alma, recebeu-os com o fim de os fazer servir ao seu próprio aperfeiçoamento, e, ao mesmo tempo, como ministro da Providência, ao alívio dos outros. «E por isso, que quem tiver o talento da palavra tome cuidado em se não calar; quem possuir superabundância de bens, não deixe a misericórdia entumecer-se no fundo do seu coração; quem tiver a arte de governar, aplique-se com cuidado a partilhar com seu irmão o seu exercício e os seus frutos» (Leão XIII, Rerum Novarum, 17).

domingo, 5 de março de 2017

LIVRO DA CONFIANÇA - R. P. Pe Thomas de Saint-Laurent



"Voz de Cristo, 
voz misteriosa da graça que ressoais no silêncio dos corações, vós murmurais no fundo de nossas consciências palavras de doçura e paz. Às nossas misérias presentes repetis o conselho que o Mestre dava, frequentemente, durante sua vida mortal: "Confiança, confinça"! (...) poucos cristãos, mesmo entre os fervorosos, possuem essa confiança que exclui toda ansiedade e toda hesitação"!

+++ VELAS DE CERA DE ABELHA +++


Ajude o Eremitério da Santíssima Trindade
adquirindo velas de cera de abelha.
Produção artesanal.
Velas em tamanho único 20x10.
Contatos via facebook ou pelo e-mail do eremitério. 

sábado, 4 de março de 2017

Quem tem olhos para ver, que veja!


Quando virdes a abominação da desolação

São Mateus, 24

1.Ao sair do templo, os discípulos aproximaram-se de Jesus e fizeram-no apreciar as construções.
2.Jesus, porém, respondeu-lhes: Vedes todos estes edifícios? Em verdade vos declaro: não ficará aqui pedra sobre pedra; tudo será destruído.
3.Indo ele assentar-se no monte das Oliveiras, achegaram-se os discípulos e, estando a sós com ele, perguntaram-lhe: Quando acontecerá isto? E qual será o sinal de tua volta e do fim do mundo?
4.Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza.

5.Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos.
6.Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim.
7.Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares.
8.Tudo isto será apenas o início das dores.
9.Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações.

10.Muitos sucumbirão, trair-se-ão mutuamente e mutuamente se odiarão.
11.Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos.
12.E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará.
13.Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.
14.Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas as nações, e então chegará o fim.
15.Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) - o leitor entenda bem -

16.então os habitantes da Judéia fujam para as montanhas.
17.Aquele que está no terraço da casa não desça para tomar o que está em sua casa.
18.E aquele que está no campo não volte para buscar suas vestimentas.
19.Ai das mulheres que estiverem grávidas ou amamentarem naqueles dias!
20.Rogai para que vossa fuga não seja no inverno, nem em dia de sábado;
21.porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será.
22.Se aqueles dias não fossem abreviados, criatura alguma escaparia; mas por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados.

23.Então se alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo! Ou: Ei-lo acolá!, não creiais.
24.Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.
25.Eis que estais prevenidos.
26.Se, pois, vos disserem: Vinde, ele está no deserto, não saiais. Ou: Lá está ele em casa, não o creiais.
27.Porque, como o relâmpago parte do oriente e ilumina até o ocidente, assim será a volta do Filho do Homem.
28.Onde houver um cadáver, aí se ajuntarão os abutres.

29.Logo após estes dias de tribulação, o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas.
30.Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem. Todas as tribos da terra baterão no peito e verão o Filho do Homem vir sobre as nuvens do céu cercado de glória e de majestade.
31.Ele enviará seus anjos com estridentes trombetas, e juntarão seus escolhidos dos quatro ventos, duma extremidade do céu à outra.
32.Compreendei isto pela comparação da figueira: quando seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo.

33.Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta.
34.Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça.
35.O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão.
36.Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai.

37.Assim como foi nos tempos de Noé, assim acontecerá na vinda do Filho do Homem.
38.Nos dias que precederam o dilúvio, comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca.
39.E os homens de nada sabiam, até o momento em que veio o dilúvio e os levou a todos. Assim será também na volta do Filho do Homem.
40.Dois homens estarão no campo: um será tomado, o outro será deixado.

41.Duas mulheres estarão moendo no mesmo moinho: uma será tomada a outra será deixada.
42.Vigiai, pois, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor.
43.Sabei que se o pai de família soubesse em que hora da noite viria o ladrão, vigiaria e não deixaria arrombar a sua casa.
44.Por isso, estai também vós preparados porque o Filho do Homem virá numa hora em que menos pensardes.
45.Quem é, pois, o servo fiel e prudente que o Senhor constituiu sobre os de sua família, para dar-lhes o alimento no momento oportuno?
46.Bem-aventurado aquele servo a quem seu senhor, na sua volta, encontrar procedendo assim!
47.Em verdade vos digo: ele o estabelecerá sobre todos os seus bens.
48.Mas, se é um mau servo que imagina consigo:
49.- Meu senhor tarda a vir, e se põe a bater em seus companheiros e a comer e a beber com os ébrios,
50.o senhor desse servo virá no dia em que ele não o espera e na hora em que ele não sabe,
51.e o despedirá e o mandará ao destino dos hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes.